Nº 1 em Reabilitação Pediátrica

Método Therasuit

Método Padovan

Método CME

Terapia da Fala

Terapia Ocupacional

Prematuridade

Cinesioterapia respiratória

Neurofeedback

Miofascial

Ozonoterapia

Neuropsicologia

Método Therasuit - o que é?

O método Therasuit é um programa de fisioterapia intensivo e individualizado, com ganhos comprovados em todo o mundo e aplicado a crianças – a partir dos 2 anos, adolescentes e adultos com problemas a nível neuro-motor.

Baseia-se nos princípios de fisiologia do exercício para ganho de força nos músculos fracos e assim atingir metas funcionais a curto prazo. Os recursos utilizados no método são um fato (therasuit), uma gaiola com sistema de roldanas (Universal Exercise Unit) e uma suspensão de elásticos (spider).

Patologias
-Paralisia Cerebral
-Traumatismo cranioencefálico
-Pós AVC
-Ataxia, Atetosis-Síndrome de down e outros síndromes-Hipertonia/Hipotonia
-Alterações da coordenação motora e equilíbrio
-Atrasos no desenvolvimento motor
-Alterações sensorio-motoras

Duração

O Método é feito durante 20 dias seguidos com uma duração de 3 horas diárias.
Sendo que durante a primeira hora e meia o programa consta de calor, massagem, mobilização e reforço com pesos. E na segunda parte após a colocação do fato realiza-se treino funcional.

kinesio_metodotherasuit

Método Padovan - o que é?

O Método Padovan de Reorganização Neurofuncional, desenvolvido por Beatriz Padovan, é uma abordagem terapêutica que recapitula as fases do neuro-desenvolvimento, usadas como estratégia para habilitar ou reabilitar o Sistema Nervoso.

O Método recapitula o processo de aquisição do Andar, Falar e Pensar de maneira dinâmica, estimulando a maturação do Sistema Nervoso Central, com intuito de tornar o indivíduo apto a cumprir seu potencial genético e adquirir todas as suas capacidades, tais como locomoção, linguagem e pensamento.

Como funciona o método?
A terapia consta de três tempos:

  • Realização de exercícios corporais onde se recapitulam as fases de desenvolvimento motor atá à marcha, passando por todas as etapas, passo a passo, por exemplo:  rolar, rastejar, gatinhar, levantar.
  • Exercícios visuais, estimulando reflexo óculo-motor e seguimento visual.
  • Exercícios de reeducação das funções Reflexo-vegetativas Orais (respiração, sucção, mastigação e deglutição). Estas funções são consideradas pré-linguísticas, preparam os movimentos para a fala articulada, iniciando o processo de comunicação e linguagem.

Patologias
Alterações motoras:
-Paralisia cerebral
-Descoordenação motora global e fina
-Dispraxias
-Acidente cerebral vascular
-Traumatismo craniano

Alterações da fala e linguagem
-Distúrbios articulatórios em geral (trocas, omissões e substituições de fonemas, afasias motoras e sensoriais, atraso de linguagem, gagueira, etc.)
-Distúrbios de aprendizagem (défice de atenção e concentração, dislexia, discalculia e disgrafía).
-Motricidade oral: respirador bucal ou oral, deglutição atípica, disfagia (dificuldade para deglutir) e maus hábitos orais.

Distúrbios Neuro-motores e síndromes
-Doenças degenerativas do sistema nervoso central
-Síndrome de down
-Parkinson
-Doentes em coma
-Outros.

Alterações neuropsiquiátricas:
-Autismo
-Hiperatividade

Método CME Cuevas Medek Exercise - o que é?

O Método CME Cuevas Medek Exercise é uma abordagem fisioterapêutica utilizada em crianças que possuem alterações no desenvolvimento motor causado por um síndrome não degenerativo que afeta o Sistema Nervoso Central. O método consiste na aplicação de exercícios desafiadores, com gradual apoio distal e exposição à força da gravidade. A ideia é provocar respostas automáticas na criança.

Aplicação
-Bebés a partir dos 3 meses até atingir a marcha sempre e quando o terapeuta suporta o peso da criança.
-Crianças com paralisia cerebral
-Síndrome de down
-Prematuros
-Síndromes genéticos
-Atraso motor com ou sem diagnóstico.

Av
aliação e programa
A técnica possui uma avaliação exclusiva de CME que consta de 41 itens que definem a idade motora da criança entre os 3 meses (início do controlo cefálico) e os 16 meses (marcha independente).

Esta avaliação permite-nos definir objetivos de trabalho. O programa pode ser realizado durante 8 semanas, uma ou duas vezes por dia com 45 minutos de duração. Ao fim deste período deve repetir-se a avaliação e verificar se os objetivos foram cumpridos. Se não foi atingido nenhum objetivo deve aconselhar-se a procura de outra técnica.

Esta técnica permite a execução de um programa para ser feito em casa pelos pais e assim serem parte ativa da recuperação da criança.

kinesio_espaco01
kinesio_terapiadafala1

Terapia da Fala

O Terapeuta da Fala é o profissional responsável pela prevenção, avaliação, tratamento, diagnóstico e estudo científico da comunicação humana e perturbações relacionadas, incluindo todas as funções relacionadas com a compreensão e produção da linguagem oral e escrita, assim como todas as formas de comunicação não verbal.

Compreende ainda a prevenção, avaliação e tratamento da deglutição. Esta especialidade destina-se a todas as idades, desde a neonatologia à geriatria.

Áreas de Intervenção

-Comunicação
-Linguagem
-Fala
-Voz
-Motricidade Oro-facial
-Deglutição

Terapia da Fala na pediatria

O trabalho com crianças em idade pré-escolar e escolar constitui uma das grandes áreas de intervenção, no âmbito das dificuldades na articulação dos sons da fala e dos Atrasos/Perturbações do Desenvolvimento da Linguagem, muitas vezes responsáveis por problemas de aprendizagem escolar.

No entanto, o terapeuta da fala desempenha um papel crucial na aquisição e reabilitação das componentes sensorial e motora da alimentação. Estimulando e adequando os reflexos orais, a praxia muscular orofacial e coordenando as funções orais – respiração, sucção, mastigação e deglutição.

Nos casos em que o uso da fala como meio primordial de comunicação está comprometido, o recurso a meios de comunicação alternativos ou aumentativos surge como solução temporária ou permanente.

Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional é o tratamento de condições de saúde que afetam o desempenho das pessoas em qualquer fase da vida. O Terapeuta Ocupacional irá facilitar, promover, adaptar e incluir o indivíduo que apresenta alterações motoras, sensoriais ou cognitivas nas atividades de vida diárias, favorecendo a sua interação e inclusão social.

Terapia Ocupacional em Pediatria

Desenvolvimento Psicomotor – em pediatria, o Terapeuta Ocupacional recorre frequentemente ao jogo e à atividade lúdica como instrumento de trabalho, para promover na criança, com problemas físicos ou cognitivos, a emergência e desenvolvimento de competências para o desempenho de atividades ocupacionais.

Desenvolvimento Sensório-motor – a criança e/ou adolescente necessitam, por vezes, de ajuda na perceção de determinado tipo de estímulo sensorial, devido à incorreta interpretação que o seu sistema nervoso central faz desses mesmos estímulos, que eventualmente pode tornar a criança hipersensível a estímulos agradáveis e/ou demasiado tolerante aqueles mais agressivos.

O Terapeuta Ocupacional poderá proporcionar à criança diferentes estímulos, táteis, auditivos, olfativos e/ou propriocetivos, em níveis apropriados, desenvolvendo progressivamente a correta interpretação dos estímulos ambientais.

Real People: Hands Holding Caucasian Sleeping Newborn Baby Girl

Prematuridade

Um bebé prematuro ou Pré-termo é aquele que nasce antes das 37 semanas concluídas.

O desenvolvimento motor de uma criança é definido por marcos motores, como o controlo cefálico, ou seja, o rolar, o gatinhar, o sentar. Alguns estudos mostram que os bebés prematuros apresentam maior probabilidade de atraso Neuropsicomotor devido à imaturidade dos seus órgãos e sistemas.

Em Portugal nascem entre 900 a 1000 prematuros por ano e as percentagens mostram que 25 por cento dos bebés nascidos antes das 32 semanas apresentam atraso no desenvolvimento e 10 por cento tem paralisia cerebral.

A intervenção precoce da Fisioterapia no bebé prematuro tem como principal objetivo minimizar os danos desta imaturidade, promovendo o desenvolvimento global o mais próximo do normal.

A Kinésio desenvolveu um programa de intervenção precoce ao prematuro que se baseia em dar estímulos motores, visuais, tácteis e auditivos, adequadamente e respeitando a fase em que o bebé se encontra, assim como a orientação aos pais dos estímulos corretos que devem realizar em casa.

O tratamento é a longo prazo, sendo acompanhado pelo fisioterapeuta, terapeuta da fala e terapeuta ocupacional (especialistas em neurodesenvolvimento) a partir das 34 semanas gestacionais (independentemente do número de semanas com que o bebé nasceu) até que o bebé consiga a marcha independente.

Cinesioterapia respiratória

Também conhecida por “ginástica respiratória”, consiste num conjunto de técnicas terapêuticas manuais de contração torácica que ajudam a tratar infeções respiratórias nas crianças.

Está indicado principalmente para crianças com infeções respiratórias, bronquiolite, pneumonias, rinite alérgica e bronquite asmática. O número de sessões será estipulado a depender da gravidade do quadro clínico.

Neurofeedback

Lembra-se de quando aprendeu a andar de bicicleta? Durante essa aprendizagem é o seu cérebro que lhe diz como ficar em balanço, aprende por feedback.

O Neurofeedback é em exercício comparável a esta aprendizagem em que o seu cérebro aprende como balançar a sua actividade! Mesmo que já não ande e bicicleta há 10 anos, nunca mais se vai esquecer!

Patologias

Perturbações de ansiedade, depressão, défice de atenção, hiperatividade, perturbações do sono, dores de cabeça e enxaquecas, paralisia cerebral, bruxismo, autismo, dificuldades de aprendizagem e fibromialgia são apenas alguns exemplos.

Como funciona?

O NEUROFEEDBACK é indolor e não invasivo. Com um equipamento específico registamos o padrão de ondas e nível de atividade cerebral. Depois, de forma interativa e motivadora, treinamos o cérebro para alterar o seu nível de atividade, promovendo a autorregulação.

Miofascial

Miofascial = “Mio” (significa músculo) + “fascial” (que vem de fáscia, ou tecido conectivo). A fáscia é uma membrana que envolve, separa, suporta, liga e protege todas as estruturas do corpo. Qualquer tensão ou dor numa área do corpo reflete-se na totalidade da rede fascial.

Como funciona?
Esta terapia atua contra a dor provocada pelas posturas incorretas, stress e traumatismos, envolvendo a aplicação de pressões suaves e estratégicas, que atuam no tecido conectivo, permitindo o seu reequilíbrio.

Indicações
Dor crónica, dores de cabeça, problemas de coluna.

Ozonoterapia

A OZONOTERAPIA utiliza o Ozono (O3), um gás natural, para o tratamento de vários sintomas e doenças, contribuindo para o bem-estar do paciente.

Na Europa, a OZONOTERAPIA está regulamentada como tratamento médico pela Declaração de Madrid.

A OZONOTERAPIA cura doenças?

  • Existem doenças que podem ser eliminadas apenas com recurso à Ozonoterapia (designadas como doenças de primeira categoria);
  • Outras, podem ver os resultados do tratamento serem acelerados pela junção de outros tratamentos médicos (doenças de segunda categoria);
  • E também existem doenças em que a Ozonoterapia pode auxiliar o doente a sentir-se melhor, mas não atua na doença propriamente dita (doenças de terceira categoria).

Quais são os benefícios do ozono?

  • Melhora a circulação periférica e a oxigenação dos tecidos, porque aumenta a capacidade de o sangue absorver e transportar oxigénio;
  • Estimula as defesas do organismo (prevenindo o aparecimento de infeções e alergias);
  • Possui propriedades anti-inflamatórias e analgésicas, ajudando a controlar a sensação de dor;
  • Atua como antissético e germicida, eliminando bactérias, fungos e vírus, ou tornando-os inativos;
  • É um potenciador da cicatrização e reabilitação dos tecidos, contribuindo para a recuperação de lesões e ulcerações;
  • Contribui para a prevenção de doenças degenerativas e cancro, pois estimula as enzimas celulares antioxidantes;
  • Possui um efeito revitalizante e rejuvenescedor, já que promove a recuperação funcional e o bem-estar.
  • Cardiologia: hipertensão arterial sistémica, angina, cardiopatias e isquemia do miocárdio.
  • Dermatologia: alergias, dermatite atópica, eczema, eritema, dermatite, acne, herpes zoster, esclerodermia, queimaduras, psoríase, feridas, papilomatose vírica, onicomicoses.
  • Endocrinologia: pacientes que sofrem de diabetes.
  • Medicina Estética: celulite, rejuvenescimento facial celular, rugas de expressão e gravitacionais, regeneração capilar, adiposidades localizadas.
  • Estomatologia: tratamento de cáries e vários tipos de infeções crónicas e recorrentes da cavidade oral.
  • Gastroenterologia: Doença de Crohn, diverticulite, colite ulcerosa, polipose, hemorroidas, proctite, problemas causados pela bactéria helicobacter pylori, que frequentemente causa gastrites, úlcera gástrica ou duodenal, giardíase, criptosporidiose.
  • Ginecologia: vulvovaginites crónicas, infeções por herpes genital e infeções vaginais diversas, como a candidíase.
  • Hematologia: beta-talassemia e anemia falciforme.
  • Hepatologia: doentes com hepatites de qualquer origem e/ou cirrose.
  • Imunologia: osteomielites, abcessos com ou sem fístula, feridas infetadas, SIDA e HPV.
  • Nefrologia: glomerulonefrite, insuficiência renal crónica, nefropatias ou osteítes.
  • Neurologia ou em doenças crónico-degenerativas: casos de depressão, paralisia cerebral, doença de Alzheimer, doença de Parkinson, demência pré senil e senil, esclerose lateral amiotrófica, esclerose múltipla, epilepsia, acidente vascular cerebral, trauma, convulsões e até como modulador do sono. Pode também ser usado em casos de défices neurológicos e motores em geral, bem como em casos de hiperatividade, patologias raras e défice de atenção.
  • Oftalmologia: glaucoma, retinopatias, cataratas, degeneração macular, retinose pigmentar, neurite ótica, conjuntivite crónica e queratite herpética.
  • Oncologia: incremento da imunidade, aumento do bem-estar antes e durante a quimioterapia e radioterapia.
  • Ortopedia: hérnias discais, osteonecroses, dores ósseas e articulares, artroses, tendinites, síndrome do túnel do cárpico e fibrose pós-cirúrgica. É facilitador da recuperação fisioterapêutica do doente.
  • Otorrinolaringologia: défices de audição, vertigens e tonturas.
  • Pneumologia: asma, fibrose pulmonar, síndroma da angústia respiratória do adulto, enfisema, embolia e doença pulmonar obstrutiva crónica.
  • Reumatologia: artrite reumatoide, osteoartrite, artrite psoriática, espondilite anquilosante, doenças autoimunes, fibromialgia, artroses, síndrome da fadiga crónica e lúpus.
  • Urologia: prostatites, hiperplasia benigna da próstata, infeções urinárias recidivantes e disfunção erétil.
  • Vascular: úlceras cutâneas, aterosclerose, vasoespasmo, tromboflebites, doença arterial periférica, insuficiência venosa crónica, sequelas de trombose, complicações vasculares da diabetes (neuropatia diabética e claudicação intermitente) e doenças isquémicas.

Neuropsicologia

A neuropsicologia estuda a relação entre o cérebro e o comportamento humano. Permite identificar a presença de alterações cognitivas, emocionais e comportamentais e quantificar a sua gravidade para posteriormente desenvolver um programa de reestruturação ou reabilitação.

 

Indicações
-Disfunções da conduta na criança (comportamentos de oposição, agressividade, perturbações eliminação/enurese e encoprése, dificuldades relacionais, etc)
-Perturbações Específicas da Aprendizagem (Dislexia, Disgrafia, Disortografia e Discalculia)
-Perturbações do neurodesenvolvimento (Perturbação do Espectro Autista, -Desenvolvimento intelectual, Défice de Atenção e Hiperatividade, etc)
-Dificuldades Neuropsicomotoras
-Síndromes genéticas (Trissomia 21, Síndrome de Prader-Willi, Síndrome de Angelman, -Síndrome do X-frágil, Síndrome de Williams-Beuren, etc)
-Lesão cerebral traumática ou adquirida (TCE’s)
-Doenças neurológicas (Epilepsias, Esclerose múltipla, Tumores cerebrais, Hidrocefalia, etc)
-Distúrbios do sono

Como funciona?

1ª Fase – Avaliação neuropsicológica

A avaliação neuropsicológica é realizada em 2 a 3 sessões e consiste numa entrevista clínica, seguida de um rastreio cognitivo (screening) e bateria de testes neuropsicológicos. A avaliação termina na elaboração de um relatório de avaliação neuropsicológica.

2ª Fase – Reabilitação neuropsicológica

A reabilitação neuropsicológica visa capacitar indivíduos saudáveis e/ou com défices cognitivos causados por lesão ou doença, para que possam adquirir um bom nível de funcionamento social, físico e psíquico, melhorando consequentemente a sua qualidade de vida.

kinesio-neuropsicologia